Fotos Domingo – Jubileu de Ouro do Círculo de Oração Águas Vivas

Fotos Domingo – Jubileu de Ouro do Círculo de Oração Águas Vivas

É com grande alegria que disponibilizamos as fotos do segundo dia do grande evento comemorativo, que celebrou o aniversário de 50 anos do Círculo de Oração Águas Vivas de nossa congregação. Deus, mais uma vez, esteve presente e nos alcançou com sua graça e amor. Nesta mesma data, foi realizada a despedida do pastor dirigente de nossa congregação, pastor Valmir Vicente de Souza e sua esposa Márcia Gomes de Souza, que juntos foram instrumentos de bênção de Deus para a vida de cada membro desta congregação. Deus vos abençoe pastor Valmir e irmã Márcia. Por onde quer que andares, que o Senhor esteja sempre com vocês. Cerimônia de despedida foi Toda honra, glórias e louvores, sejam dados aos Senhor, continuamente.

 

EBF – Escola Bíblica de Férias 2017

EBF – Escola Bíblica de Férias 2017

 

No mês de julho, realizamos a nossa EBF: Escola Bíblica de Férias.

A EBF é um momento de aprendizado muito importante para as crianças e adolescentes. Neste ano, trabalhamos o tema: O construtor feliz!

Iniciamos as atividades com uma abençoada oração do nosso pastor Valmir Vicente de Souza: “Vamos orar a Deus pelas nossas criancinhas. Vamos fechar nossos olhinhos para falar com o Papai do Céu? Senhor Jesus, nós te agradecemos por esse momento maravilhoso, por sua bênção, sua paz e seu grande amor. Papai do céu, nessa hora, quando nos reunimos diante de tua presença, vem receber nosso culto, nos abençoar. Toma todas as coisas em tuas mãos. Nós te pedimos em nome do Pai, do Filho e do Espirito Santo. Amém!”

Nossa irmã Lucilaine Goulart de Paula Gomes, Coordenadora do Departamento Infantil, apresentou o tema da nossa EBF e também a divisa: Todo aquele, pois, que escuta estas minhas palavras, e as pratica, assemelhá-lo-ei ao homem prudente, que edificou a sua casa sobre a rocha; (Mateus 7:24). “Somos felizes, pois mais um ano o Senhor nos concedeu para realizarmos esse encontro com nossas crianças e adolescentes”.

As crianças aprenderam o nosso grito de paz: Eu vou, eu vou, eu vou edificar, eu vou edificar a minha vida em Jesus!

Depois foi apresentado um teatro com a abordagem de 3 assuntos muito importantes: a diferença entre o sábio e o tolo; a importância do perdão e a necessidade de dividir o que temos em abundância.
As crianças aprenderam que a bíblia é o nosso “Manual de todas as coisas”, onde encontramos as respostas para tudo, pois é na Bíblia que encontramos a palavra de Deus.

Para tomarmos as decisões certas, devemos consultar sempre o que nos diz a palavra de Deus. A Bíblia deve ser nossa companheira no dia-a-dia, pois é através dela que vamos mudando e nos transformando em pessoas melhores. De nada vale toda a riqueza do mundo, se não temos a palavra de Deus viva em nossas vidas, devemos aprender a compartilhar e dividir o que temos em abundância, com as pessoas que precisam.

Depois do teatro foram realizadas oficinas e gincanas com as crianças, adolescentes, pais e todos os irmãos presentes.

A Igreja Evangélica Assembléia de Deus Ministério Belém de Barão Geraldo (Campinas – SP), agradece a presença de todos os irmãos, crianças e adolescentes que participaram desse evento e principalmente, aos irmãos responsáveis por mais essa obra para honra e glória de Deus.

Que as nossas crianças e adolescentes nunca se esqueçam que a rocha que sustenta a nossa vida é Jesus. Amém!

 

As divisões do Antigo e Novo testamentos da Bíblia Sagrada

As divisões do Antigo e Novo testamentos da Bíblia Sagrada

 

Divisão Antigo Testamento

O Antigo Testamento pode ser dividido de várias maneiras. Em nossas Bíblias é dividido em 39 livros. Esta divisão vem da Septuaginta, através da Vulgata Latina. A Septuaginta foi a primeira tradução das Escrituras (só o AT), feita do hebraico para o grego, cerca de 285 a.C em Alexandria no Egito. Os livros também são divididos pelos seguintes assuntos:

Pentateuco ou Lei: Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio.

Livros Históricos: Josué, Juízes, Rute, 1 e 2 Samuel, 1 e 2 Reis, 1 e 2 Crônicas, Esdras, Neemias e Ester.

Livros Poéticos: Jó, Salmos, Provérbios, Eclesiastes, Cantares de Salomão.

Livros Proféticos:
Profetas Maiores: Isaías, Jeremias, Lamentações, Ezequiel e Daniel.
Profetas Menores: Oséias, Joel, Amós, Obadias, Jonas, Miquéias, Naum, Habacuque, Sofonias, Ageu, Zacarias e Malaquias.

A ordem dos livros por assuntos também vem da Septuaginta.

A divisão da Bíblia Hebraica, utilizada pelos judeus, é diferente da nossa. Ela possui 24 livros. Na realidade, são os mesmos 39 livros do nosso AT, só muda a divisão. Os judeus chamam o AT de Tanach. São divididos da seguinte forma.

Lei (Torá): Gênesis, Êxodo, Levítico, Números e Deuteronômio.

Profetas (Neviim):
Primeiros Profetas: Josué, Juízes, Samuel e Reis.
Últimos Profetas: Isaías, Jeremias, Ezequiel e O Livro dos Doze.

Escritos (Ketubin):
Livros Poéticos: Salmos, Provérbios e Jó.
Os Cinco Rolos: Cantares de Salomão, Rute, Lamentações, Eclesiastes e Ester.
Livros Históricos: Daniel, Esdras e Neemias e Crônicas.

Devemos entender que nesta divisão:

  • 1 e 2 Samuel são um livro só.
  • 1 e 2 Reis são um livro só.
  • 1 e 2 Crônicas são um livro só.
  • Esdras e Neemias formam um livro só.
  • Os doze profetas menores formam um livro só.

Nas Bíblias de edição católica romana, o AT possui 46 livros. São os 39 livros da nossa Bíblia e mais sete livros, sem contar os acréscimos em Ester e Daniel. Os sete livros mais são:

  • Tobias, Judite, 1 e 2 Macabeus, Sabedoria de Salomão, Eclesiástico ou Sirácides e Baruque.
  • Os 39 livros das nossas Bíblias, os católicos os chamam de protocanônicos.
  • Os outros 7 livros, os católicos os chamam de deuterocanônicos.
  • 1 e 2 Samuel e 1 e 2 Reis são chamados pelos católicos de 1,2,3 e 4 Reis, respectivamente.
  • 1 e 2 Crônicas são chamados pelos católicos de 1 e 2 Paralipômenos.

 

Divisão Novo Testamento

O Novo Testamento contém 27 livros e está presente nas Bíblias católicas e evangélicas. A Bíblia hebraica não contém o Novo Testamento, pois os judeus só aceitam o Antigo Testamento. Vejamos a divisão do NT:

Biografia: Evangelhos de Mateus, Marcos, Lucas e João.

Os Evangelhos de Mateus, Marcos e Lucas são chamados de Evangelhos Sinópticos, devido a certo paralelismo que têm entre si (1). Estes evangelhos são assim considerados porque, em virtude de sua semelhança, permitem uma visão panorâmica da vida, obra, doutrina, paixão, morte e ressurreição de Cristo Jesus (2).

Livro Histórico: Atos dos Apóstolos.

Epístolas Paulinas: Romanos, 1 e 2 Coríntios, Gálatas, Efésios, Filipenses, Colossenses, 1 e 2 Tessalonicenses, 1 e 2 Timóteo, Tito e Filemom.

Epístolas Gerais ou Universais: Hebreus, Tiago, 1 e 2 Pedro, 1, 2 e 3 João e Judas.

Livro Profético: Apocalipse.

 

Fontes:
(1) A Bíblia Através dos Séculos, Pr. Antônio Gilberto, CPAD, pg. 21.
(2) Dicionário Teológico, Pr. Claudionor de Andrade, CPAD, pg. 333.
A Bíblia Através dos Séculos, Pr. Antônio Gilberto, CPAD.
Revista Veja, Editora Abril, Edição 2144, ano 42, n° 51, 23/12/09.

Cartão de visitas

Cartão de visitas

Um senhor de 70 anos viajava de trem tendo ao seu lado um jovem universitário, que lia o seu livro de ciências. O senhor, por sua vez, lia um livro de capa preta. Foi quando o jovem percebeu que se tratava da Bíblia e estava aberta no livro de Marcos. Sem muita cerimônia o jovem interrompeu a leitura do velho e perguntou:- O senhor ainda acredita neste livro cheio de fábulas e crendices?

– Sim, mas não é um livro de crendices. É a Palavra de Deus.
Estou errado?

– Mas é claro que está! Creio que o senhor deveria estudar a História Universal. Veria que a Revolução Francesa, ocorrida há mais de 100 anos, mostrou a miopia da religião.
Somente pessoas sem cultura ainda crêem que Deus tenha criado o mundo em seis dias. O senhor deveria conhecer um pouco mais sobre o que os nossos cientistas pensam e dizem sobre tudo isso.

– É mesmo? E o que pensam e dizem os nossos cientistas sobre a Bíblia?- Bem, respondeu o universitário, como vou descer na próxima estação, falta-me tempo agora, mas deixe o seu cartão que eu lhe enviarei o material pelo correio com a máxima urgência.

O velho então, cuidadosamente, abriu o bolso interno do paletó e deu o seu cartão ao universitário.
Quando o jovem leu o que estava escrito, saiu cabisbaixo sentindo-se pior que uma ameba.
No cartão estava escrito:
Professor Doutor Louis Pasteur,
Diretor Geral do Instituto de Pesquisas Científicas da Universidade Nacional da França.

Um pouco de ciência nos afasta de Deus. Muito, nos aproxima’. Louis Pasteur

Cartão de visitas – Fato verdadeiro, integrante da biografia, ocorrido em 1892.

Jubileu de Ouro do Círculo de Oração Águas Vivas

Jubileu de Ouro do Círculo de Oração Águas Vivas

 

Nos dias 26 e 27 de agosto de 2017, comemoramos os 50 anos do Círculo de Oração Águas Vivas.

Nossa amada congregação de Vila Sta. Isabel foi fundada em 1962 e após 05 anos (em 1967) foi fundado o nosso Círculo de Oração Águas Vivas, com a dirigente Maria Baldo a frente dos trabalhos em prol do fortalecimento da Igreja. Desde então as irmãs do Círculo de Oração são a coluna nesta Santa Igreja.

Completar 50 anos do Círculo de Oração é uma grande bênção, pois a oração é a principal expressão de intimidade com Deus, é a melhor forma de mostrar os sentimentos da alma em forma de adoração, submissão e gratidão. Oração é reverência, é amor e fé.

As irmãs do Círculo de Oração são as “Colunas” que sustentam a Igreja. Através delas estamos mais fortalecidos para enfrentar as dificuldades do dia-a-dia, pois além do fortalecimento espiritual, a oração também nos proporciona o crescimento espiritual e a edificação. Então podemos dizer que essas irmãs são a sustentação espiritual e moral da Igreja. Colunas inabaláveis em seus exemplos de amor, de confiança e de fé em Deus.

O Círculo de Oração Águas Vivas é uma grande bênção para a nossa Igreja, e se Deus permitir, continuará sendo até o Arrebatamento da Igreja.

Amados irmãos, todos estão convidados para participar desta grande festividade. Estendemos o convite para também para os cultos do Círculo de Oração que acontecem todas as segundas-feiras às 19h30.

Que Deus continue derramando suas bênçãos!

 

O que é jejum? Por que jejuar? Quando e como jejuar?

O que é jejum? Por que jejuar? Quando e como jejuar?

Jejuar é privar o corpo de ingerir alimento como sinal de que a pessoa está experimentando uma grande tristeza.

Essa tristeza é também expressa com choro e lamento (Et 4.3). É possível jejuar em favor de outrem. Por exemplo, o salmista jejuou pelos seus inimigos durante a enfermidade deles (Sl 35.13). Na maioria das vezes, o jejum ia do nascer ao pôr do sol (2Sm 1.12) e podia ser abstinência total ou parcial (Sl 35.13; Dn 10.3). O jejum podia expressar tristeza (1Sm 31.13; 2Sm 1.12; 3.35; Ne1.4; Et 4.3; Sl 35.13,14) e penitência (1Sm 7.6; 1Rs 21.27; Ne 9.1,2; Dn 9.3-4; Jn 3.5-8) ou ser feito para obter ajuda e orientação de Deus (Ex 34.28; Dt 9.9; 2Sm 12.16-23; 2Cr 20.3,4; Ed 8.21-23).

O jejum não tinha como propósito simplesmente privar o estômago de alimentos, mas demonstrar que aquele que jejuava estava humilhado e contrito diante de Deus. O Senhor Jesus jejuou em seu ministério (Mt 4.1-4). Sempre o Senhor teve como implícito que seus ouvintes jejuariam, não tendo condenado esse costume, mas ensinado a seus seguidores que deveriam jejuar visando à glória de Deus, e não a fim de ostentarem diante dos homens (Mt 6.16,18). O Senhor Jesus nunca ensinou aos seus discípulos a que não jejuassem, mas instruiu-os sobre um tempo mais apropriado para fazê-lo (Mt 9.14-17; Mc 2.18-22 e Lc 5.33-39).

É notório que a prática do jejum na igreja de hoje vem esfriando. A desculpa dada é que o jejum nada mais é do que uma forma de legalismo. No entanto, muitas vozes dentro do cristianismo ortodoxo vêm chamando a atenção dos crentes para esse equívoco. O pastor Warren Wiersbe, dos EUA, ao falar do valor do jejum como disciplina espiritual, comenta: “Os cristãos contemporâneos não têm tempo para disciplinas espirituais como adoração, jejum, oração, meditação, autoexame e confissão. Estamos muito ocupados, indo de uma reunião a outra, procurando atalhos seguros para a maturidade. (…) Uma das razões de o jejum ser eficaz é que há uma estreita relação entre o físico e o espiritual. Quando o corpo é disciplinado, como durante o período de jejum, o Espírito Santo tem a liberdade de esclarecer a mente e purificar as intenções, tornando nossa oração e meditação muito mais poderosas. Ele pode usar períodos de jejum para santificar nossa vida e glorificar ao Senhor” (Vitória Sobre a Tentação, Editora Mundo Cristão).

Não se deve jejuar como fonte de justiça própria (Lc 18.11-12). E não se deve também jejuar com propósitos meramente sociais. O jejum não deve ser praticado para demonstrar piedade religiosa. O jejum não deve ser feito com o propósito de causar impressão a Deus e ao homem. Ele é uma prática genuinamente bíblica e foi praticada tanto por crentes da Antiga como da Nova Aliança. O jejum não muda Deus, que continua o mesmo antes, durante e depois do jejum. O jejum nos muda, já que nos deixa mais sensíveis ao Espírito Santo. O cristão que vive em graça não nega os resultados benéficos que essa prática produz.

Publicado originalmente na revista Geração JC por José Gonçalves é pastor, líder da AD em Água Branca (PI); escritor e comentarista de revistas de Escola Dominical Lições Bíblicas da CPAD.